Memória Postumas

A franqueza é a primeira virtude de um defunto, pois na vida, o olhar da opinião, o contraste dos interesses, a luta das cobiças, obrigam a gente a calar os trapos velhos, a disfarçar os rasgões e os remendos, a não estender ao mundo as revelações que faz à consciência (Memórias póstumas de Brás Cubas).
Neste sentido e num gesto de profundo carinho e solidariedade fraterna que a Paróquia Nossa Senhora do Rosário presta uma grande homenagem no Ano Mariano e a 21ª Festa diocesana das Tendas 2017.
As homenageadas são:  Elvira Corona ManfroiAna Tessarolo (tia Nota).

Elvira Corona Manfroi, mais conhecida como Dona Elvira. Nasceu no dia 22 de Maio de 1918 – Marau – RS. Faleceu no dia 10 de Mar de 1992 (Idade: 73). Dona Elvira foi casa com Francisco Manfroi (faleceu em 22 de junho de 79 com 63 anos) e junto tiveram 13 filhos, 37 netos.
Dedicou sua vida a família e a comunidade, estando sempre pronta para os trabalhos em sua paróquia e disposta a ajudar os menos favorecidos. A porta de sua casa também sempre esteve aberta a acolher quem precisasse nas necessidades materiais e espirituais.Teve uma vida cristã e sem ostentação. Alegrava-se com as coisas simples da vida.

Ana Tessarolo, mais conhecida como Tia Nota, nasceu dia 27 de agosto de 1931 em Rodeio SC.  Morou em Lages, no Bairro Coral 56 anos. Atuou em várias atividades da paróquia Nossa senhora do Rosário, entre as mais se destacaram foram: pastoral do dízimo, legionária, o trabalho que mais dava prazer era ajudar os pobres. Tinha o olhar e a sensibilidade de Jesus com os mais necessitados, ninguem ficava desassistido, sempre disponível em atender as urgências. O ser humano era em primeiro lugar, deixou um legado de obras, e pessoas que incluiu nos trabalhos sociais. Sua vida terrena se resumiu em SERVIR .