Ascensão do Senhor

40 dias após a solenidade da Páscoa, celebramos a solenidade da Ascensão do Senhor. A Liturgia, para facilitar a participação dos fiéis fixou a Ascensão do Senhor para o 7º Domingo da Páscoa.
Nesta solenidade a Igreja nos convida a termos os olhos voltados para o céu, nossa Pátria definitiva. Como tão bem diz São Paulo: “Vós que ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas do alto, onde está Cristo (Col 3,1)”. Em nossa profissão de fé rezamos que Jesus “subiu aos céus e está sentado à direita do Pai”. Por isso na Ascensão celebramos Jesus dando por completa sua missão. Ele veio do Pai, revelou-nos o rosto Misericordioso do Pai. Ensinou-nos a amar o Pai e a fazer em tudo a sua Vontade.
Ele cumpriu até o fim a missão que o Pai lhe confiou. Agora Ele volta para o Pai, após ter nos ensinado a percorrer o caminho que nos levará de volta para Deus, e Ele próprio se faz o caminho – “ninguém vai ao Pai, senão por mim” (Jo 14,6). Por isso, seguindo Jesus que é o Caminho, a Verdade e Vida, chegaremos ao coração do Pai; sendo assim, como bem rezamos na liturgia: “A Ascensão do Senhor já é nossa vitória”. Mas o caminho que leva de volta à glória do Pai passa pela cruz, pela capacidade da entrega da vida: “Quando eu for elevado na terra, atrairei todos a mim” (Jo 12,32) – a elevação de Jesus na cruz significa e anuncia a sua elevação ao céu.
Nos Atos dos Apóstolos – 1,1-11, encontramos a narração da Ascensão de Jesus. Enquanto Jesus se eleva e os discípulos ficam olhando para o alto, uma voz os interpela dizendo: “Porque ficais aí olhando para o céu, o mesmo Cristo que hoje foi elevado, virá novamente a vós”. A Ascensão deve nos levar a um comprometimento em nossa fé, como discípulos missionários do Senhor, pois com a Ascensão termina a missão de Jesus e começa a missão da Igreja.
Em Hebreus 9,24 lemos: “Jesus não entrou em um santuário feito por mãos humanas…. e sim no próprio céu, a fim de comparecer diante da face do Pai a nosso favor”. Na encarnação Jesus, o Verbo eterno, traz até nós o mistério da divindade. Na sua Ascensão Ele leva para junto de Deus a nossa humanidade. Ele é o primogênito de toda criatura a entrar na plenitude da vida, levando consigo nossa humanidade redimida; e membros do seu corpo pelo batismo, somos chamados também a participar da sua glória.
A Solenidade da Ascensão nos ensina como diz São Paulo: “somos cidadãos do céu” (Fil 3,20). O cristão vive neste mundo, sem ser do mundo. Caminha entre as coisas que passam, abraçando as que não passam.
A Ascensão de Jesus não é uma despedida, mas sim, um novo modo de sua presença. Ele agora continua agindo através daqueles que Nele acreditam e que se dispõem a continuar o seu amor no mundo.